Deprecated: mysql_connect(): The mysql extension is deprecated and will be removed in the future: use mysqli or PDO instead in /home/storage/5/55/2a/site1382735168/includes/inc-funcoes.php on line 11
Educadores de escola pública têm noções de Direito do Trabalho | Amatra 5
Educadores de escola pública têm noções de Direito do Trabalho
02 de junho de 2016
A educação é plataforma que serve de base para a realização de todos os outros direitos fundamentais. Foi com essas palavras que a presidente da Amatra5, Rosemeire Fernandes, abriu, nesta quarta-feira, dia 1º, o seminário de formação de multiplicadores do programa Trabalho, Justiça e Cidadania, uma iniciativa da Anamatra e Amatra5, com o apoio do TRT5 e patrocínio da Caixa Econômica Federal.  O evento aconteceu no auditório do Centro Educacional Estadual Magalhães Neto, nos Barris, com a presença de cerca de 30 professores, que ouviram noções básicas de Direito do Trabalho para aplicar em sala de aula ao longo do ano.

O evento foi aberto às 8h30, com a formação da mesa, composta pela presidente da Amatra5; pela diretora de Cidadania e Direitos Humanos da Amatra5, juíza Sílvia Isabelle; e pela diretora do colégio, Deylane Andrade Santos.

Após uma breve saudação de boas-vindas da diretora, a juíza Rosemeire Fernandes citou a presença da representante da Caixa Econômica Federal, Gisele Costa, no evento, destacando o apoio que o banco sempre deu a essa iniciativa. “A CEF desenvolve essa parceria com o TJC desde a criação do programa, há 10 anos”, lembrou a juíza.

A magistrada Silvia Isabelle disse que o TJC é tocante para todos os que participam. “É um trabalho do bem, com o objetivo de levar noções de cidadania para os estudantes”.

Participou também do evento a diretora tesoureira da Amatra5, juíza Soraya Gesteira. 

Na sequência, a juíza Rosemeire Fernandes explicou como funciona o programa, citando a origem e seus fundamentos. Destacou tratar-se de importante ferramenta para fomentar o cumprimento dos direitos do trabalhador e lembrou que o próprio TRT5 incorporou em seu planejamento estratégico a responsabilidade socioambiental.

Mostrou também fotos de outros TJCs realizados na Bahia, com a participação de juízes, desembargadores, advogados e promotores, além de cenas de diversas culminâncias realizadas ao longo de uma década de programa. 

Na sequência, a juíza Silvia Isabelle exibiu um resumo do filme “Daens – Um grito de Justiça”, que mostra a realidade cruel dos trabalhadores e crianças em uma indústria têxtil na Bélgica, no século XIX. Durante o debate sobre o filme, ela lembrou, por exemplo, que a primeira norma na Inglaterra sobre trabalho infantil estabelecia a idade mínima de 9 anos. Disse ainda que é importante saber que os direitos trabalhistas foram conquistados com muita luta e suor e que a sociedade precisa estar atenta para evitar retrocessos.

Trabalho infantil

Na parte da tarde, a presidente da Amatra5 explicou rapidamente o conteúdo da cartilha do trabalhador distribuída entre os professores para aplicação em sala de aula. Na sequência, a magistrada aposentada e professora Gerúzia Amorim abordou diversos aspectos do trabalho infantil, como a idade mínima estabelecida na lei, a inserção do jovem no mercado de trabalho e o contrato de aprendizagem. 

Depois foi a vez do coordenador do TJC na Bahia, juiz Agenor Calazans, abordar a questão do trabalho doméstico, tirando dúvidas e explicando detalhes da nova lei da categoria, além de detalhar diversas situações que envolvem esse tipo de atividade, como o trabalhador que dorme no emprego e aquele que presta serviços na casa apenas alguns dias na semana.

Aulas mais aprofundadas

Na opinião do coordenador pedagógico da escola, professor Walry de Góes, o conteúdo apresentado pelos juízes vai enriquecer bastante as aulas, sobretudo naquela unidade, que trabalha com Educação de Jovens e Adultos (EJA), nos três turnos. “Nossos alunos têm mais de 18 anos, muitos deles já estão no mercado de trabalho e é fundamental que saibam seus direitos e deveres para que possam exercer plenamente a cidadania”.

A professora Gilbeliana Eliseu, que dá aula à noite de alfabetização para adultos, destaca que muitos alunos estão desatualizados sobre as novidades desse universo, como a nova legislação do trabalho doméstico. “São ambulantes, mecânicos, pedreiros que não têm acesso a esse tipo de informação e o TJC vai ajudá-los a  conhecer seus direitos”.   

Como funciona o programa

O Programa Trabalho, Justiça e Cidadania é uma iniciativa da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), executada nos Estados pelas Amatras. Por meio do programa, magistrados da Justiça do Trabalho, advogados e professores levam noções básicas de direitos fundamentais, do trabalho, da criança e do adolescente e do consumidor, além de ética e cidadania.

O público-alvo é formado por estudantes do ensino fundamental e médio, em especial aqueles que estão se preparando para entrar no mercado de trabalho, além de estudantes dos cursos profissionalizantes, de Escolas de Jovens e Adultos (Ejas).

Além das aulas, os alunos fazem uma visita ao Fórum para acompanhar uma audiência, tiram dúvidas com os magistrados e apresentam um trabalho final (chamado de culminância), no qual mostram, de forma lúdica, o que aprenderam em sala de aula.

O TJC já foi reconhecido pela OIT (Organização Internacional do Trabalho) como uma boa prática de combate ao trabalho infantil.
MAIS LIDAS

enviar

ENDEREÇO

Rua Miguel Calmon, nº 285,
Edifício Góes Calmon, 11º andar,
CEP 40.015-901,S
Salvador - Bahia - Brasil

TELEFONE

Tel.: 71 3326-4878 / 3284-6970
Fax: 71 3242-0573

AMATRA5
Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 5ª Região
AMATRA5
© 2013 - AMATRA 5. Todos os Direitos Reservados
Agência NBZ - estratégia digital