Deprecated: mysql_connect(): The mysql extension is deprecated and will be removed in the future: use mysqli or PDO instead in /home/storage/5/55/2a/site1382735168/includes/inc-funcoes.php on line 11
AMATRA 5 homenageia a colega Fátima Stern | Amatra 5
AMATRA 5 homenageia a colega Fátima Stern
21 de novembro de 2011


A AMATRA 5 - Associação dos Magistrados da 5ª Região, através da sua diretoria e associados, se solidariza na dor da família e amigos pela perda de juíza e colega, Maria de Fátima Borges Stern, que presidiu essa associação por dois mandatos. A  Dra. Fátima, que sempre teve uma postura aguerrida, comprometida, competente, perseverante diante de todas as situações, somente se rendeu, depois de muito ter lutado contra o  maior desafio da sua vida.



Estamos todos de luto e a sensação de vazio é enorme.  Por seu exemplo de luta, garra, paixão permanecerá viva em cada um de nós. Ninguém, que conviveu com ela, conseguiu ficar imune ao seu jeito de ser e, certamente, perpetuará por longos anos a sua existência.



 Hoje, na presidência da Amatra5, é impossível não lembrá-la todos os dias. Asseguro a todos, que seu exemplo será sempre minha inspiração.



Abaixo, estão transcritas algumas mensagens enviadas por nossos colegas. Divulgar publicamente no nosso site todas essas declarações de carinho, amor e admiração foi a forma que achamos para homenagear  essa colega tão especial e querida.



Ana Cláudia Scavuzzi Magno Baptista



Presidente da Amatra 5



Mensagens:



"Fátima é uma pequena cidade portuguesa, onde no início do século passado três crianças viram a imagem de Maria no alto de um arbusto. Fátima é um nome deixado pela herança moura na Península Ibérica. Mas com a Maria, de Fátima, o nome se incorporou definitivamente na cultura católica do ocidente. E inúmeras Marias de Fátima surgiram em Portugal, no Brasil e nas colônias lusitanas. Minha família, católica como toda boa família de origem italiana, tem a sua. Como tem também a sua Rita de Cássia, outra figura santa, de menor envergadura que a Maria, mãe de Jesus. Essa é minha irmã de sangue. A única que tive fruto do amor de meus pais. E embora ela merecesse muitas elegias, não é sobre essa irmã que eu quero falar agora. É sobre outra, que não foram meus pais que geraram, mas que a vida me deu de maneira muito generosa. Maria de Fátima, para muitos amigos só Fátima. Mas para muitos outros, inclusive desconhecidos, Fátima Stern, que como diz o teutônico sobrenome adquirido no amor por Joaquim, era uma Estrela. Com seu brilho iluminou minha vida.



Irmã que entrou na vida depois dos quarenta, mas vai ficar para sempre. Irmã mesmo, no mais profundo dos sentidos, irmã na comunhão do bem querer, na identidade de interesses, na simpatia, no amor um pelo outro. Irmã a quem se ama e com quem se briga, e muito e inúmeras vezes, como dois irmãos sempre fazem, mas que ao final, continuam se amando e compartilhando. Amor fraterno, que não se explica de forma muito fácil para vidas que se cruzam já na metade delas. Mas que se deve aprender a aproveitar cada instante como se fosse o último.



Deixamos a empatia natural aflorar na amizade permanente, na realização de coisas boas e importantes e na obsessão pelo trabalho coletivo e em prol do coletivo.  Fátima deu a mim, mas também a milhares de colegas, seus melhores e maiores esforços na busca de uma sociedade melhor, de um direito do trabalho mais justo, de uma Justiça mais democrática e mais eficiente. Deu-se por inteira e de forma irremediável. Privou-se do marido, dos filhos, mas não se privou da neta.



Logo que a conheci tive contato com uma das suas mais marcantes características: a dedicação incondicional ao trabalho que realiza e sua elétrica forma de conduzir esse trabalho. Era a verdadeira e real negação do estereótipo preconceituoso que se tem dos baianos. Para ela nada ficava para depois, tudo era para antes e com isso ganhava simpatia e reconhecimento pela sua competência.



O que talvez muitos não soubessem que é que essa luta era travada para ajudar a enfrentar outra, da qual pouco se referia, para a qual nunca se entregou, nunca se deu por vencida. Não conheço a etimologia da palavra Fátima, mas não há maior sinônimo para a minha irmã Fátima do que guerreira. Há outro que poderia ser associado a esse, vitoriosa. Guerreira e vitoriosa.



Acompanhei, em parte do tempo, sua luta. De seu amado Joaquim, de seus filhos e de seus pais, de quem era filha única. Fui testemunha de seus anseios e de suas alegrias e frustrações. Há dois anos nos afastamos no espaço, mas mantivemos a proximidade na alma, como dois irmãos sempre fazem.



O destino lhe apresentou a dura luta pela vida de forma precoce e injusta. Não que ela a achasse injusta, éramos nós que assim achávamos. Nunca se queixou, nunca se permitiu a autocomiseração, nunca se deixou dizer fragilizada ou triste. E se em alguns momentos quis a vida lhe fraquejar, ela logo arrumava trabalho, para esquecer, para seguir em frente, para viver.



Uma vez eu disse aos seus pais que não sabia como agir quando ela se apresentava ao trabalho, pois ao mesmo tempo precisava, e muito, dela, mas não achava que estava abusando. Eles me disseram que isso a mantinha viva. Nunca mais me preocupei.



Sei que devia estar dizendo das suas realizações, de seu elogiado desempenho profissional e do seu sucesso como dirigente associativo da magistratura. Não poderia omitir especialmente uma de suas maiores obras que foi a I Jornada de Direito Material e Processual do Trabalho, que realizamos juntos com o TST e a Enamat. Mas isso é história, tem registro e é de domínio público. Prefiro dizer da minha irmã, companheira e amiga. É a emoção que me move, a razão se curvou, respeitosa, em sua homenagem.



Por isso estou triste, mas ao mesmo tempo resignado, pois sei que seu sofrimento teve um fim. O nosso, ao contrário, aumenta. Nós partilharemos a saudade e a tristeza de sua ausência. Mas quando formos flagrados na solidão de nossas lembranças, alargaremos o sorriso lembrando sua alegria e sua vontade de viver. E encontraremos no seu exemplo e na sua luta, força para enfrentarmos as batalhas de todo dia. A dor de não poder mais estar com ela de maneira terrena, será sublimada pela certeza de que estará em paz e isso apaziguará nossos corações.



Fátima é uma pequena cidade portuguesa. Há milhares de Marias de Fátima pelo mundo. " Mas Maria de Fátima, a Stern, é minha irmã de coração, e como Estrela, seu brilho jamais se apagará" .



Cláudio Montesso  - Presidente da Anamatra na gestão 2007-2009



 



" Todos sabem como sou ligado a Fátima Stern. Por isso, podem avaliar o sentimento que me assola nesse momento de profunda, mas profunda dor mesmo, com a sua partida para uma viagem sem volta. Fui quem primeiro identificou, nela, predicados para ingressar na política associativa e, como todos puderam avaliar, não estava errado. Exerceu, com liderança destacada, cargos na AMATRA e ANAMATRA; mas não vou falar de suas qualidades como mulher, juíza, líder associativa, mãe, esposa, amiga. Isso fica para a história que saberá contá-la para os que chegam. Se pudesse resumir tudo isso em uma só palavra diria: GUERREIRA! Comprovou isso até o fim, após quase sete anos de luta contra o implacável câncer que lhe retirou todas as forças que o corpo pode suportar, mas não lhe retirou a DIGNIDADE. Mesmo na UTI, não sucumbiu ao ataque da enfermidade. Acompanhei de perto a sua batalha e demonstrou isso quando estive com ela pela última vez em que ainda não estava sedada. Reagiu com todas as suas forças. Agora, descansa. Somente posso lhe desejar que vá em paz. Deixa uma imensa saudade; esse sentimento implacável que insiste em nos deixar com esse nó na garganta e com uma dor imensa, mas também deixou o legado da DIGNIDADE, do amor à magistratura, de combater o bom combate, de estender a mão a quem precisava, enfim, de AMOR À VIDA. Aos seus muitos amigos, compartilho o sentimento da perda. Aos que não a conheceram, digo-lhes que era um exemplo de colega"



Cláudio Brandão - AMATRA 5



 



" Também quero deixar meu registro de reconhecimento à guerreira Fátima.Que Deus  conforte os familiares, amigos e admiradores" .



Veloso Sobrinho - AMATRA 16



" Fátima foi uma grande guerreira, uma obstinada e combativa dirigente da Amatra 5 e da Anamatra, uma colega de muito talento, uma amiga sincera e leal. Tive a honra de com ela conviver no movimento associativo. Com muita tristeza pelo falecimento dessa valente mulher baiana, externo a minha solidariedade a Joaquim, aos dois filhos e aos seus amigos e  admiradores" .



 Grijalbo - AMATRA  10



" Uma notícia muito triste, ainda mais para quem teve o privilégio de conhecê-la e estarmos em muitas lutas juntos. Vamos convergir nossas energias para que ela encontre um caminho de luz e paz. Gostaria de transmitir a minha solidariedade e meus votos de pesar a todos os familiares e aos colegas da AMATRA 5. " Permanece seu trabalho e sua luta aguerrida pelos interesses da magistratura, exemplo que jamais será esquecido" .



Firmino Lima -  AMATRA 15

 



" Com profundo pesar, tanto pelo acontecido, como por não poder me despedir da amiga e ilustre amiga e colega no seu último momento nesta dimensão, por me encontrar ausente de Salvador.  Desejo que a família  encontre forças em Deus para tolerar a elevada dor. Perde sua família; perdem seus amigos; perde a Magistratura; perde a cidadania; e choramos todos juntos esse precipitado golpe, que somente não merece censura por ser desígnio de Deus" .



Manoel Serapiao filho - AMATRA 5



 



" Da mesma forma como ocorreu com alguns colegas, somente hoje tomei conhecimento da passagem da nossa querida Fátima.Quando cheguei permutada de Natal em agosto/2004, fui recebida com muito carinho por Fátima, a então presidente da Amatra5. Nunca vou esquecer-me do carinho e da atenção que ela me dispensou na minha chegada. Sem dúvida, ela já está sendo recebida no outro plano da mesma forma, contando com o carinho e a atenção dos amigos espirituais que a precederam, pois ela merece muito.Quanto a você e aos demais familiares, recebam a minha solidariedade. Que Deus os conforte e os ajude a continuar a caminhada sem a forte presença dela. Além da dor que deixou nos corações daqueles que a amam aqui na Terra, ela também deixou, dentre tantas outras coisas, uma herança valiosa: o exemplo de força, coragem e perseverança nos momentos difíceis.  Apeguem-se a essa "herança" nesse momento tão difícil, e tentem seguir esse grande exemplo.Que Deus abençoe a todos! Muita paz!



Hineuma Márcia - AMATRA 5



 



" Não sei o que dizer. A precoce partida de nossa colega Fátima Stern representa uma enorme perda não apenas para a família e para os amigos mais chegados como também para todos aqueles que, como eu,  admiravam a sua postura combativa e o seu compromisso com a causa da Justiça.  Dona de um caráter íntegro e de muita fé, ela certamente fará uma grande falta. Minha solidariedade à família enlutada e as minhas orações para que Deus esteja a trazer conforto aos seus familiares.



Aloísio Santos Júnior - AMATRA 5



 



" Desde que tomei posse como magistrado acostumei-me a verificar, e admirar, com frequência, a tenacidade e o destemor da colega Fátima, motivo de apreço e de elevada estima por tudo o que ela representou para a  Magistratura e para a AMATRA 5. Registro, aqui os meus mais sinceros votos de pesar pelo falecimento da estimada colega, rogando o conforto para os familiares, consciente de que somente Deus, Todo Poderoso Arquiteto do Universo, poderá saciar a saudade que ela deixará" .



 Juvêncio Marins de Oliveira - AMATRA 5



 



" Também lamento profundamente a morte da nossa colega Fátima Stern. Modelo de garra, luta e amante da causa associativa. Nos eventos por ela organizados dizia-se que tinham o padrão " Fátima Stern" , como sinônimo de excelência em qualidade. Lutou até o fim com muita dignidade" . 



 Luciana Conforti - Presidente da AMATRA 6



 



" Vi com imensa tristeza, na Lista da AMATRA 5, a notícia do falecimento da querida colega Fátima Stern. Sei que muitos colegas daqui também a conheceram por conta do movimento associativo.  Tive a sorte de conhecê-la quando fui juíza na Bahia. Junto com Andréa Presas foi a pessoa mais receptiva e acolhedora daquele Tribunal e continuou amiga mesmo depois que saí de lá. Sem contar a grande Presidente da AMATRA, batalhadora como foi na vida. Vai deixar muitas saudades" .



 Ilka Tavares - AMATRA 6



 



" Lamento profundamente o falecimento da colega Fátima Stern, com quem tive a grata satisfação de integrar a anterior Diretoria da Anamatra . Exemplo deluta , de perseverança e de dedicação, deixa, sem dúvida, profunda saudade. Que Deus conceda à família o conforto necessário neste momento de dor" .



Ribamar Lima Júnior - AMATRA 10



 



Nossa guerreira descansou. Um amor imenso pela Magistratura Trabalhista e pela ANAMATRA tinha nossa Fátima. Um amor belo, superior as suas forças físicas. Fará falta, por que as pessoas que efetivamente se importam e se comprometem com a melhoria do Mundo ao seu redor, são diamantes raros. Fátima, em nome da gestão da Anamatra que integramos juntas quero te dizer que TE AMAMOS MUITO HOJE E SEMPRE minha amiga.  Nos aguarde, por que no Mundo Espiritual queremos te reencontrar bem e feliz como você merece. Deus a proteja e ampare neste momento de retorno ao Mundo Espiritual.



Eulaide Maria Lins - AMATRA 11



 



" Peço que transmitam aos pais da Fátima, ao Joaquim e aos filhos, o meu mais profundo pesar e os sentimentos dos colegas da 1ª Região. Fátima, não nos custa lembrar, sempre foi engajada e combativa, no movimento associativo, mas principalmente na vida. Deixa marcas muito fortes em nós e um vazio imenso" .



André Villela - Presidente da AMATRA 1



 



" A lembrança que levo da Fátima, é a organização e o entusiasmo dela, com a Jornada realizada no TST (acho que foi realizada em 2008). Era uma pessoa que contagiava com quem convivia, com certeza. Uma grande perda" .



José Carlos Kulzer - Presidente AMATRA 12



 



" É uma grande perda. Fátima era aguerrida, lutadora e entusiasta do associativismo judicial.Todos estão de luto. Votos de pêsames a família e aos colegas da AMATRA 5" .



Luiz Antônio Colussi - AMATRA 4



 



" Fátima Stern é, verdadeiramente, um exemplo de como um dirigente associativo deve portar-se para com seus pares. Nunca se esquivou de responder as inquietações de seus confrades, aqui na lista e noutros lugares, viessem de quem viessem. E respostas rápidas, demonstrando inequívoca e admirável preocupação com as dúvidas e argruras dos associados.



Tive a honra de participar da Comissão Editorial da Revistas "Vistos, etc", que em sua gestão foi revitalizada. Para mim uma experiência inesquecível e enriquecedora, graças ao dinamismo de Fátima, que sempre acompanhou de perto os trabalhos que culminaram nas quatro, se não me engano, edições que foram lançadas sob sua batuta. Sai da vida a mulher, a mãe, a magistrada, a dirigente, a líder - não apenas comandante -, a religiosa - ela frequentava algumas Paróquias, entre as quais a de Nossa Senhora da Vitória, onde nos encontramos algumas vezes, e ontem, na missa das 7h, foi feita uma referência explícita à sua passagem e aos detalhes de seu funeral -, e vem para a eternidade a inspiração, o ensinamento, a bússola. Até mais, Maria Maria!"



Maurício Lopez - AMATRA 5



 



" Fátima, para mim, foi uma amiga, uma conselheira, uma colega, uma incentivadora, um exemplo de liderança integradora, conciliadora, independente, com espírito público destacado... Tanto adjetivos e mesmo  assim não bastam. Eu e Andrea sentiremos muito a sua falta e de nossas conversas, mas creio que ela estará sempre presente conosco como uma boa inspiração de um ser humano ético que veio para agregar e construir. Como, por certo, lembraria nossa querida guerreira, NAS PALAVRAS DE RUY,  "para o coração, pois, não há passado, nem futuro, nem ausência. Ausência,  pretérito e porvir, tudo lhe é atualidade, tudo presença. Mas presença animada e vivente, palpitante e criadora, neste regaço interior, onde os  mortos renascem, prenascem os vindoiros, e os distanciados se ajuntam, ao influxo de um talismã, pelo qual, nesse mágico microcosmo de maravilhas,  encerrado na breve arca de um peito humano, cabe, em evocações de cada instante, a humanidade toda e a mesma eternidade (Oração aos Moços)".



Guilherme Ludwig - AMATRA 5



 



"É verdade.Muitos conheceram a guerreira Fátima Stern, até porque seu espírito agregador atraía muitos amigos. Mas quem a conheceu mais de perto - como eu que tive a oportunidade de compartilhar o trabalho em Alagoinhas e em Salvador, pois fui seu substituto e seu auxiliar, tendo privado de sua amizade - pode testemunhar seu valor.



Podemos dizer que toda a magistratura trabalhista está coberta de luto! Dentre tantas outros legados, Fátima nos deixa três preciosas lições: a luta incessante na vida - ela sempre foi, como disse Cláudio, uma guerreira;  luta persistente pela vida - nem mesmo a enfermidade a deteve enquanto teve forças para lutar, e isso serve de exemplo para nos outros; a vida é breve, passa como um pensamento, pelo que deve ser muito bem aproveitada para realizar, servir e fazer escolhas certas enquanto há tempo" .



George Almeida - AMATRA 5



 



" Tive o prazer de conhecer Fátima nas atividades da Anamatra, embora não tenha convivido muito com ela. De todo modo, o pouco tempo foi suficiente para conhecer a pessoa amiga, verdadeira, determinada e dedicada às causas da Justiça do Trabalho e da Anamatra/Amatra5. Impressionante como ela vibrava e curtia o movimento associativo. Sua empolgação, alegria e energia era contagiante, típica dos baianos, " Um povo a mais de mil" .Muitas de nossas conquistas e sucessos têm a marca dela. Grande mulher!Em nome da Amatra13 transmito o mais profundo pesar pela perda, desejando força e paz a todos os familiares e amigos" .



Adriano Dantas - AMATRA 13



 



" Somente hoje soube do falecimento da amada Fátima Stern. Endosso todas as manifestações, com pesar e saudade" .



Rodolfo Pamplona Filho - AMATRA 5



 



" Lamento profundamente o ocorrido, externando desde já minha solidariedade a todos os familiares e a minha gratidão a querida colega Fátima, que sempre estendeu sua mão quando precisei, principalmente ao iniciar minha jornada neste Tribunal. Tenho certeza que da mesma forma que ela deixa saudade entre nós, ela já foi acolhida por familiares e amigos em outra dimensão com grande comemoração" .



Maria Angela Sampaio - AMATRA 5



 



" Chegando hoje, soube da triste notícia, que deprimiu a todos que conheceram a valorosa Fátima, inclusive eu. Todas as mensagens doloridas e sinceras externadas nesta lista servem de arrimo a todo o meu sentimento de perda em relação a esta colega guerreira, digna de referência a toda a Magistratura. Encontre o Criador, Fátima, que Ele , com certeza lhe acolhe agora em seus braços paternos na dimensão maior! A família, os meus sentimentos, esperando que o conforto da esteira de afeto que a acompanhou sempre, sirva de base para o consolo  necessário neste doloroso momento. Paz para todos!"



Graça Boness - AMATRA 5



 



" Prezados amigos da AMATRA 5, escrevo apenas para externar e registrar meu pesar pelo falecimento da magistrada e amiga Fátima Stern. Em poucos contatos pessoais que tive com ela, ainda quando eu integrava a magistratura da 5a Região percebi a grande amiga e excelente magistrada que era. Toda a magistratura trabalhista decerto está de luto.



Claudio Pedrosa Nunes - AMATRA 13



" A notícia, na noite da última sexta-feira, do falecimento de Fátima Stern, causou-me muita tristeza. E na tristeza, pelo meu jeito de ser, me socorro do silêncio. Hoje, iniciada uma nova semana, e como a vida continua, venho expressar minhas condolências - e peço o favor de que as transmitam -   aos familiares de Fátima e a todos os colegas baianos, por essa perda.Fátima era mesmo a pessoa amiga, batalhadora, atenciosa, incansável, bem intencionada e, principalmente, guerreira, a que todos aqui se referiram.Foi uma honra para mim, como dirigente associativo e como pessoa, ter podido conviver e aprender com ela no Conselho de Representantes e na diretoria da Anamatra" .



João Bosco - AMATRA 3



 



" O luto é da AMATRA 5, mas também de todos os colegas do Brasil que tiveram a honra e a oportunidade de conviver e trabalhar com Fátima. Sua intensidade encorajadora é qualidade de poucos. Sua crença pura nas possibilidades da Justiça do Trabalho, dos Juízes do Trabalho e das associações dos Juízes era inabalável. Uma mulher para ser admirada por tantas qualidades, dentre elas a do sorriso franco de uma baiana que carregava diariamente, e mesmo nas adversidades, uma enorme alegria de viver. Choro por ela e choro por mim, pela perda de uma amiga cujo convívio me fez tanta diferença".



Noêmia Garcia - AMATRA 10



 



" Costumo dizer que a magistratura me trouxe muitas alegrias, principalmente  muitos amigos e Fátima foi um deles. Nos aproximamos através do movimento associativo e confesso que, a  princípio, me assustava o seu jeito tão intenso de fazer e resolver as coisas. Com o tempo, fui percebendo o quanto o movimento associativo a  encantava e como ela trabalhava para que todos também se encantassem. A AMATRA 5 era como uma joia , que ela fazia questão de ressaltar a  importância a todo momento.  Ainda me lembro das suas palavras de incentivo, quando ainda me inquietava a  ideia de presidir a AMATRA 5. Seu apoio foi decisivo para que aceitasse tamanho desafio. Enfim, estamos de luto, aliviados pelo encerramento de um ciclo de sofrimento da nossa querida Fátima, mas saudosos da sua presença.  Transcrevo  um trecho de uma música que bem retrata este misto de sentimentos".



"VIDA PASSAGEIRA ( IRA)



Sonho difícil de acordar



É quando teus amigos te surpreendem



Deixando a vida de repente



E não se quer acreditar



Mas essa vida é passageira



Chorar eu sei que é besteira



Mas, meu amigo, não dá pra segurar..."



Viviane Leite - AMATRA 5



“Conheci Fátima Stern nas minhas primeiras andanças por Brasília, na Anamatra. E desde logo aprendi a respeitá-la pela sua capacidade de articulação e de sinergia. Foram várias depois as frentes em que atuamos sob a sua coordenação: Reforma da Previdência, Jornadas de Direito do Trabalho, comissão para a preservação das competências da JT... e, nos momentos mais tensos, dela se podia esperar sempre uma palavra de equilíbrio e conversão.  Parte para outras plagas uma grande mulher, que honrou a Magistratura e lutou até o fim para permanecer, na vida, em suas fileiras. Descansará, mas os frutos da sua luta ficarão”.



Guilherme G. Feliciano – AMATRA 15



 



“Sempre nutri especial admiração pela Fátima, pelo seu jeito singular de ser, sua postura corajosa. Por ocasião da 1ª Jornada de Direito do Trabalho, em 2007, acompanhei de perto sua atuação determinada e parecia mesmo que veio predestinada para realizar muito em pouco tempo. Em outros momentos Fátima sempre comparecia de forma colaborativa e contagiava a todos com sua energia positiva e cativante. Deixou o bom exemplo e cumpriu sua missão.



Tenho certeza que está sendo bem recebida do outro lado da vida e homenageada com o galardão dos vencedores, pela sua existência exitosa. Fica uma sensação doída de saudade, mas também o orgulho de ter tido uma colega tão especial ”.



Sebastião de Oliveira – AMATRA 3



 



“Todas as palavras ditas e escritas são pouco para definir a Fátima, com quem tive a prazer de uma vivência mais próxima na Anamatra, nas gestões do Pandelot e do Montesso. Com a Fátima não tinha "bola perdida". Transformava em ouro tudo que fazia. A obsessão e



dedicação pela Anamatra e Amatra 5 era admirável. E sempre com o espírito associativo. O seu baianismo soava como música aos nossos ouvidos. Como Diretora de Comunicação tratava como um filho o "buletim" da Anamatra. Ficam somente boas lembranças e um exemplo insuperável de luta pela vida”.



Marcos Salomão - AMATRA 4



 



“Adiro às palavras do colega João Bosco, no que cabe, pois infelizmente não tive a honra e a satisfação de ter convivido tanto com ela, pessoalmente. O contato que tive deixou, de toda forma, as melhores memórias. Lamento extremamente, pois, o passamento da nobre colega.



Em nome da AMATRA18, transmitam os sentimentos dos juízes de Goiás, passando consolo e paz nesta hora”.



Platon  - AMATRA 18



 



“Infelizmente não pude comparecer ao sepultamento de Fátima, por ter no mesmo horário um compromisso inadiável. Gostaria de dar um breve depoimento sobre ela. Certa vez, fui convidado por Rodolfo para participar, como palestrante, de um Encontro que ele promoveu em Porto Seguro. Sofri uma perigosa queda que provocou um corte na minha cabeça. Sangrava muito. Fui transportado às pressas para um hospital e levei vários pontos. Teve de ser convocado um médico neurologista que avaliou se  o cérebro teria sido afetado. Minha



esposa não havia me acompanhado na viagem. Pois bem, Fátima foi a pessoa que me deu total assistência durante os atendimentos médicos e fez diversos contatos telefônicos com Shirley (minha esposa) a fim de tranquilizá-la. Nunca consegui agradecer à altura tantos cuidados que ela teve comigo naqueles momentos difíceis e de angústia.



Narrei apenas um fato que demonstrou a elevada disposição de Fátima em servir  desinteressadamente a qualquer pessoa e, em especial, aos colegas. Essa era uma das suas inúmeras qualidades, sendo talvez a maior delas a de líder inconteste na luta associativa, mesmo sabendo que uma grave doença atacava seu organismo”.



Raymundo Pinto - AMATRA 5



“O Presidente do Tribunal Superior do Trabalho expressa o  seu profundo  pesar pelo falecimento da Juíza do Trabalho Maria de  Fátima Coelho   Borges Stern, do Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região, pelo seu  entusiasmo, exemplo de vida e incansável disposição para  o diálogo,  assinalando a importância da sua atuação para o  movimento associativo e  para o aperfeiçoamento da instituição.”



TST – Tribunal Superior do Trabalho



 



“ Minha grande e fraternal amiga, Fafá - companheira eventual de viagem - excedia o simples dizer que “deu o melhor de si”, porque tudo em SI era o melhor. Não conheci o mais ou menos em você, que soube SER muito mais do que TER, nobre e rica em valores humanos inestimáveis, muitos deles reconhecidos e louvados por nossos colegas, não esgotados, porém, diante da grandeza da homenageada. Uma personalidade carismática, pela simplicidade aliada a um ser ético e elegante no seu porte impecável e no suporte do trato dos seus semelhantes. No seu carro, sentava-se ao lado do fiel motorista, Delfino, que a servia com reconhecida e terna satisfação. Relembro, ainda, dos tempos da sua Presidência, em que a nomeamos, carinhosamente, a “Lelé” e nós, os confrades, seus voluntários “escravos”, que entoávamos:” Lelé, Lelé...”, uma brincadeira que muito a divertia, numa demonstração do quanto era prazeroso estar sob sua direção, porque, sabiamente, comandava e auxiliava seus colaboradores, com sutileza, sem retirar a autonomia inerente a cada função.



Um "Sexto sentido" de sua breve existência parecia acelerar as suas ações prontas e imediatas, sem prejuízo da qualidade e efetividade dos efeitos benéficos e, com a sua entrega em favor do próximo, Fátima, por onde passou, o mundo melhorou!



Quando a visitava, percebia sua fé inabalável, suportando a cruz da enfermidade sem lamentações e com uma serenidade contagiante, que aumentava a minha crença em Deus. E é ao Criador que agradeço tê-la emprestado ao nosso convívio, deixando um legado de exemplo de dignidade e justiça à magistratura e de liderança política correta, construtiva e pacificadora. Podemos nos sentir confortados pela certeza de que a felicidade pelas conquistas alcançadas em prol da nossa classe contribuíram para lhe dar a sensação de “qualidade de vida”, na medida em que esquecia de si para dar lugar a sua paixão de associada, só superada pelo amor correspondido a sua Família, a quem enviei minhas condolências, desculpando-me pela ausência e agradecendo por tantos momentos em que a retiramos da convivência familiar.



Sinto-me na orfandade de uma mãe protetora da nossa regional dentro da Diretoria Nacional, que, certamente, já teria assumido a presidência. Fica minha homenagem, elegendo-a “Presidente de Honra” da ANAMATRA.



Em minha memória, uma indelével lembrança, no coração, um sentimento de amizade que jamais se apaga. No Reino de Deus, ela há de inspirar nossas lideranças aqui na terra. Hoje, encomendei aqui missa de 7º dia, porque a distância impossibilitou minha presença aos funerais”.



Terezinha Amorim - Paulínia, 20.11.2011



Nota: quando o meu companheiro, Alverne, homem discreto, me disse:”Tê, a Fátima vai continuar a nos fazer muito bem”, respondendo, na sua linguagem de alquimista, as razões de sua observação, diante do que perguntei se ele gostaria de homenageá-la. Eis a resposta de quem sentiu a perda de um irmã, na mesma faixa etária de Fátima e em semelhantes condições. ?



 



“Não creio que se possa fazer uma reflexão desprovida da emoção, neste momento de dor. Mas a tentação é grande para passar em perspectiva as lições que a Fátima me passou, nas pouquíssimas oportunidades que tive com ela. Note que não sou da família e nunca trabalhei com ela. Portanto, talvez possa dizer mais precisamente serem estas linhas uma reflexão de um observador.



Tudo tem um começo. A minha apresentação a Fátima se deu pela Tê, a minha mulher, que comentou ser a Fátima muito querida e especial para ela. Essa observação já leva a anseios de conhecimento por se tratar de uma pessoa admirada. Referi-me a ela como Meritíssima e ela sabiamente falou: Fátima. Esta chamada não teve a conotação de chamar a atenção para algo de errado, mas sim um pedido para que eu considerasse chamá-la de simplesmente Fátima. Uma lição de simpatia, elegância, mas sobretudo de equilíbrio".



Depois, pude notar com clareza que os nutritivos encontros da Associação dos Magistrados em Salvador liderado pela Fátima traziam sempre a impressão de que tudo era pensado, programado e executado de maneira clara, firme e muito bem aceito pelos presentes, que se sentiam seguros com a sua liderança. Isso, para mim, um mero espectador, é mais uma lição de equilíbrio.



Nas vindas da Tê de Salvador, ela comentava da força da Fátima em assumir a enfermidade sabidamente sem retorno, com dignidade, sem exaltar os ânimos da família, embora não sem resignação, pois lutou até o último momento de força. Mais uma lição de equilíbrio para nós todos que algumas vezes não sabíamos por que gostávamos tanto da Fátima.



Nos funerais de minha irmã caçula, na celebração de corpo presente, o padre fez uma pergunta que calou a todos. Ele, muito sabiamente, falou: porque estão chorando? Será que a Neile realmente deseja voltar a Terra? Eu acho que não, eu acho que ela está bem melhor que nós, porque o nosso Pai falou da ressurreição dos mortos e da proximidade com o Pai. Gente, a Fátima ressuscitou porque esta foi uma promessa de Jesus. Será que não estamos sendo muito egoísta em querer a Fátima conosco ao invés de senti-la feliz na presença do pai?



Para finalizar, os nossos santos evangelistas reportam no Novo Testamento que as pessoas perguntaram a Jesus como Ele próprio o definiria e Ele respondeu que era o sal da vida. Aqui, sal significa equilíbrio. Gente, a Fátima trilhou o caminho de Jesus na Terra. Não preciso me alongar mais um centímetro”.



Alverne - Paulínia, 20/11/2011



 



 


MAIS LIDAS

enviar

ENDEREÇO

Rua Miguel Calmon, nº 285,
Edifício Góes Calmon, 11º andar,
CEP 40.015-901,S
Salvador - Bahia - Brasil

TELEFONE

Tel.: 71 3326-4878 / 3284-6970
Fax: 71 3242-0573

AMATRA5
Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 5ª Região
AMATRA5
© 2013 - AMATRA 5. Todos os Direitos Reservados
Agência NBZ - estratégia digital